segunda-feira, 19 de outubro de 2009

QUANTO AO HOMOSSEXUALISMO


Não está completa minha pesquisa sobre a homossexualidade. Para publica-la, devo reunir o máximo de pareceres das diversas ciências pertinentes ao assunto, como Filosofia, Sociologia, História, Psicologia, Teologia e afins. Esta tarefa me foi interrompida devido à 45 dias de internação hospitalar e agora outras prioridades como a gravação do DVD "Um Milagre em Você" da minha amada mãe e pastora Zena Queiroz. Porém, não posso deixar de emitir minha opinião pessoal - e apenas "minha opinião" - acerca da tal "homofobia", palavra totalmente inovadora e que nos últimos tempos tem sido cada vez mais evocada.

Na verdade, quero manifestar-me acerca da posição da Igreja. Primeiro, gostaria de lamentar a atitude de certos "cristãos" que insistem em tentar fazer com que a Igreja assimile a atitude homossexual como comportamento natural do ser humano, evitando que ele seja visto como "pecado". Isto é uma afronta ao próprio cristianismo, que há mais de dois milênios manifesta-se contrário a esta aberração. Não há conciliação entre a religião cristã, que prega à sujeição ao Criador, com a prática homossexual, que estimula o sexo antinatural.

É igualmente repudiável o comportamento de certos ativistas gays, que colocaram a Igreja como sua inimiga número um. Alegam serem os cristãos fomentadores de preconceito, unicamente pelo fato de discordarmos de suas práticas e nos manifestarmos publicamente a esse respeito. Quer eles queiram ou não, a Bíblia é contra o homossexualismo, e este livro é a fonte de inspiração de todos os cristãos das mais variadas vertentes desde o nascimento de nossa religião. Não há como interpreta-la de outra maneira, pois desde o Gênesis ao Apocalipse há passagens referentes ao homossexualismo e em nenhuma delas ele é tido como virtude, e sim, como pecado. Consequentemente, a leitura e pregação da Bíblia levará naturalmente a uma postura anti-homossexualismo.

É desesperador o fato de que opiniões contrárias ao homossexualismo sejam consideradas "fanáticas", "retrógradas" e até "criminosas". Esta é a opinião do cristianismo e sempre será. E os praticantes do homossexualismo, bem como os ativistas gays, terão de conviver com nossa oposição, desde que respeitosa. Aliás, quem não convive com oposições num estado democrático de direito? Os próprios cristãos temos nossos opositores.

Neste mesmo pacote de reprovações, incluo a postura de certos cristãos que não sabem a diferença entre rechaçar a prática e agredir os praticantes. Já vi alguns tidos como cristãos zombarem de gays e até mesmo agredi-los verbalmente. Outros os acuam de tal forma, que até mesmo os que queiram libertar-se desta prática sentem-se pouco à vontade entre nós. Isso sem contar alguns de nosso povo que vão até às chamadas "paradas gay" com o pretexto de evangelizar, quando na verdade geram mais e mais conflitos. Mais execrável ainda são os parlamentares da tal "bancada evangélica" (que eu particularmente não acredito que exista) que insistem em posicionarem-se contra leis que concedam direitos aos homossexuais, como se isso fosse o fim da "tradicional família brasileira".

Os gays devem ter seu direito garantido a TODOS os benefícios de um cidadão comum, como dependência em planos de saúde, direito à adoção do sobrenome do "parceiro"(!?), à adoção de "filhos"(!?), à bens em herança e etc, justamente porque é isso que eles são: cidadãos brasileiros comuns e normais.

A prática do homossexualismo não lhes rouba a cidadania brasileira, conquanto os impeça de herdarem o Reino dos Céus, e é deste Reino que a Igreja tem que cuidar. Compete à Igreja ensinar aos cristãos o que a Bíblia diz sobre esta prática, bem como os castigos para seus praticantes. Mas não é de nossa alçada dificultar-lhes a vida civil, impedindo seus direitos de expressão, manifestação e bem estar social. Muito pelo contrário. A vida é difícil para todos os brasileiros e se a Igreja não for um alívio para a sociedade, não há razão também para ser um fardo.

3 comentários:

Anônimo disse...

Eu tb concordo com vc os homens sexuais nao erdarao a vida eterna
so os fieis como Zena Queiros
Por que ela é uma prova que Jesus
verdadeiramente transforma vidas
por que ELE faz e sempre fará UM MILAGRE EM NÓS!!

anonimo!!!!

Geraldo Souza disse...

Muito boa a matéria. Concordo com quase tudo. Sou católico e penso como a Igreja: Condenar o pecado, não o pecador. Essa era a atitude de Cristo. Infelizmente, a grande mídia tenta transmitir a idéia de que é normal e muitos vão nessa onda. É um desvio sim. Homem é homem e mulher é mulher. Assim Deus nos criou.
Geraldo

O Clérigo disse...

Meu caro Geraldo Souza, obrigado pelos comentários. Entretanto, fico curioso em saber qual é o "quase" que o senhor não concorda.
Fique a vontade para expressar sua opinião que, aqui, será sempre muito bem vinda.
A paz de Cristo.